Tomate: Fruta Restaura Pulmão De Ex-fumantes
setembro 5, 2018
Receita de Espinafre Gratinado
setembro 7, 2018
Tudo

É HORA DE VENCER A COMPULSÃO ALIMENTAR

Sentir uma extrema necessidade de comer mesmo sem fome e não deixar de se alimentar neste caso é apenas um dos vários sintomas da Compulsão Alimentar, doença mental que leva as pessoas a comerem quantidades exageradas de comida em pouco tempo, perdendo o controle.

A Compulsão Alimentar não se trata de saborear algo com prazer, vontade e sentindo os sabores. Na verdade, a pessoa come tão rápido que muitas vezes nem mastiga direito, mal sente o gosto da comida. Geralmente está tentando aliviar, ainda que temporariamente, uma enorme ansiedade interna por meio da comida.

Quem sofre de compulsão pode, em um único momento, comer tudo que tem na geladeira. Depois disso, partir para o freezer, comendo tudo gelado mesmo, sem esquentar. Pode também fazer combinações estranhas, que não agradariam o paladar dentro de um contexto normal. Algumas pessoas comem até passar mal fisicamente.

Afetando homens e mulheres de todas as idades, alguns fatores de risco são: comer compulsivamente após um período de dieta; dificuldade em expressar suas necessidades; baixa autoestima; estar mais exposto a possíveis comentários externos sobre seu corpo, peso e alimentação.

O transtorno geralmente vem acompanhado de um ganho de peso significativo, e isso pode gerar várias complicações à saúde. Além disso, há consequências psicológicas, porque este descontrole traz sentimentos como vergonha, culpa, sensação de fracasso, angústia, autodepreciação e depressão.

Complicações possíveis
Pessoas com compulsão alimentar têm maior risco de desenvolver obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão e níveis de colesterol alto. Outras doenças mentais também podem surgir como a bulimia ou a depressão.

Compulsão Alimentar tem cura?
Com tratamento adequado para a compulsão alimentar, pesquisas apontam que após seis anos cerca da metade dos indivíduos apresentaram melhora significativa, um terço apresentou um resultado intermediário e 6% tiveram um mau resultado. Por isso, com ajuda profissional especializada, você pode vencer a compulsão alimentar!

Compulsão é uma doença que não se vence sozinho: se você sente que está indo por este caminho de perda de controle diante da comida, busque ajuda!

É preciso ter apoio multidisciplinar, justamente porque as causas deste transtorno são multifatoriais. Envolvem aspectos fisiológicos, psíquicos e sociais. Para o tratamento ter sucesso, precisa ser apoiado por um time composto por médico, nutricionista e psicólogo.

Eles estão aptos para fazer uma análise profunda do comportamento da pessoa, em busca das raízes do problema. A partir disso, o paciente poderá voltar a escutar mais seu corpo e tomar as rédeas da sua alimentação gradativamente.

fazer uma dieta restritiva aumenta as chances de se desenvolver compulsão alimentar. Isso porque elas alimentam um ciclo bastante perigoso para a saúde do corpo e da mente. Ao cortar drasticamente a quantidade de calorias ingeridas diariamente, ou então, excluir grupos alimentares inteiros (por exemplo, em dietas que proíbem o consumo de carboidrato), a pessoa se expõe a uma restrição muito grande.

Emagrece, mas não consegue manter a privação. Volta a comer tudo de novo, só que em maior quantidade (porque essa abstinência aumenta a vontade de comer) e acaba exagerando. O exagero aumenta a culpa. E a culpa chama para a próxima dieta. É um ciclo sem fim. Difícil viver assim, não?

Consulte sempre um profissional de saúde para reavaliar sua alimentação como um todo e chegar ao seu peso com saúde, sem sofrimento.

Busque comer com qualidade, respeitando certa rotina. Evite comer por questões emocionais, no entanto, permita-se atender às vontades do corpo, sempre com moderação e consciência.

Se está insatisfeito com sua relação com a comida, não pense duas vezes em procurar ajuda de um nutricionista. Resolver estas questões é algo fundamental para uma melhor qualidade de vida e uma consequente paz interior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *